O segundo distrito – Arcoverde

Chegou a vez de conhecermos um pouco mais de nossos distritos. Leia mais sobre Arcoverde #emcasaconhecendoBarbosa.

Criado pela Lei Municipal nº 140, no ano de 1950, do município de Garibaldi, o distrito de Arcoverde é anterior à emancipação de Carlos Barbosa.

Em 1961, a Lei Municipal nº 47, cria Arcoverde como segundo distrito de Carlos Barbosa. O mesmo compreende também as localidades de Alpinada e Coblens. Arcoverde também sedia a Paróquia Nossa Senhora das Graças. A construção da primeira capela, que posteriormente se tornou matriz, “foi autorizada em 1891, iniciada em 1895 e concluída em 1897” (Migot, 2008, pág. 294), retratando assim a fé do povo que já habitava o lugar, que era identificado como Boa Vista – Picada Velha, antes da denominação oficial dada em 1950 (Migot, 1989, pág. 439).

Atualmente, Arcoverde possui um núcleo urbano com boa infraestrutura, e se destaca “na produção agrícola e industrial, hortigranjeiros, agroindústrias, pecuária leiteira, criação de suínos e aves, produção de ovos” (Scaratti, pág. 262). Também possui belas paisagens naturais.

Veja fotos de Arcoverde:

Fonte de pesquisas:

MIGOT, Aldo Francisco. Carlos Barbosa: presente, primórdios e pioneiros. Caxias do Sul: Bellas-Letras, 2008.

MIGOT, Aldo Francisco. História de Carlos Barbosa. Porto Alegre: EST; Caxias do Sul: EDUCS, 1989.

MUNICÍPIO DE CARLOS BARBOSA. Lei nº 47/1961. Disponível em: <https://leismunicipais.com.br/a/rs/c/carlos-barbosa/lei-ordinaria/1961/5/47/lei-ordinaria-n-47-1961-cria-o-2-distrito-do-municipio-de-carlos-barbosa?q=cria%20distrito%20arcoverde>. Acesso em 18 jun. 2020.

MUNICÍPIO DE GARIBALDI. Lei nº 140, de 11 de julho de 1950. Disponível em: <https://leismunicipais.com.br/a/rs/g/garibaldi/lei-ordinaria/1950/14/140/lei-ordinaria-n-140-1950-cria-o-distrito-de-arcoverde?q=140%2F1950>. Acesso em 19 jun. 2020.

SCARATTI, Senir Antonio. Arcoverde e a Linha Boa Vista. Carlos Barbosa: Evangraf, 2018.

SCOTTÁ, Romildo, CARLOTTO, Fernando. A emancipação: Carlos Barbosa ontem e hoje. Veranópolis: Gráfica Reúna, 2006.

———–

Texto: Paula Caroline Zan Carrard

Fotos: Banco de Imagens da Prefeitura | Daiane Altíssimo